7 Dicas para eliminar as celulites de vez

Não é de hoje que as celulites assombram a vida das mulheres, surgindo sempre nos lugares mais inapropriados.

Para quem não está ligando o nome ao problema, celulites são aqueles furinhos, que parecem casca de laranja e podem aparecer em qualquer parte do corpo, embora quase sempre, surgem nas coxas ou bumbum.

Na verdade, as celulites, são um depósito de gordura entre a pele e as fibras musculares, que surgem com o acúmulo de gorduras, águas e toxinas, e agravadas pela má circulação nas células, provocando desníveis e nódulos na pele.

Embora nas mulheres elas sejam mais comuns, é possível, sim, homens apresentarem o problema, geralmente, porque suas fibras correm horizontalmente, formando um padrão cruzado impedindo ondulações.

O fato é que essas danadas não só causam desconforto como têm o dom de acabar com a autoestima e a confiança da mulher com seu próprio corpo.

Mas, nada de aceitar a derrota, dá para lutar e vencê-las sim, e por isso, escolhemos aqui 7 dicas para dar adeus ás inimigas!

7 dicas para eliminar as celulites de vez

1- Identificar o grau de suas celulites

Primeiramente, é preciso entender que existem vários graus de celulite, portanto, é preciso saber o tamanho do inimigo para escolher as armas, certo?

  • Grau 1 – Celulite sem ondulações ou irregularidades, porém, quando comprime a pele, surgem pequenas ondulações, tipo casca de laranja.
  • Grau 2 – Já é possível perceber as ondulações ou “furinhos” sem comprimir a pele.
  • Grau 3 – Quando é possível identificar nódulos claramente, muitas vezes, até doloridos.
  • Grau 4 – Podemos perceber vários nódulos, “duros”, com inchaço, comprometimento da circulação de retorno, a pele apresenta um aspecto acolchoado.

2- Beber bastante água

Pronto, já identificado o grau, agora é hora de se armar contra a inimiga, para começar, bebendo muita água, que ajuda a eliminar toxinas e gorduras, logo, as celulites, e fazem com que os nutrientes cheguem mais fácil até a pele.

3- Escolher o que come

Outra dica é escolher muito bem o que coloca no prato, preferindo aqueles  alimentos ricos em fibras e hortaliças, pois o intestino precisa funcionar bem, já que o intestino preso reflete em problemas de circulação linfática.

4- Evitar sal, açúcar, frituras, bebidas açucaradas ou gaseificadas e bebidas alcoólicas.

Se não consegue cortar, de vez, do cardápio, ao menos, diminua muito, a ingestão de alimentos ricos em iodo, frituras, açúcar, bebida alcoólica, que podem piorar a aparência da sua pele.

5- Praticar exercícios físicos

Se a celulite é causada pelo acúmulo de gordura, a melhor forma de se livrar dela é fazendo com que o organismo a elimine, certo? Nesse sentido, fazer exercícios é ótimo, justamente, por ajudar a eliminar gorduras localizadas, melhorando a circulação sanguínea.

6- Massagear com esponja vegetal ou fazer drenagem linfática

o Cellugold Funciona muito bem com massagens e são ótimas opções para tratar o problema, já que ambas melhoram a circulação sanguínea, eliminando as toxinas do organismo.

7- Apostar em tratamentos estéticos

Caso nenhuma dessas dicas acima apresente resultado, então, provavelmente, precisará apelar para tratamentos estéticos, que costumam ser muito eficazes, como a carboxiterapia, lipocavitação, endermologia, manta térmica radiofrequência, mesoterapia, ultrassom com lipolíticos (ultrassom estético), gesso liporedutor, criolipólise, subcisão, ondas acústicas, corrente russa, e outras.

Como emagrecer e afinar a cintura em 14 passos

Enquanto para algumas pessoas emagrecer e afinar a cintura parece algo muito fácil, para outras, no entanto, parece uma coisa quase impossível.

Pois bem, o que essas pessoas não sabem é que muitos fatores podem influenciar o peso e a perda de gordura localizada, bastando apostar em algumas simples modificações na rotina para aumentar a queima de gordura.

A verdade é que muitas pessoas começam uma dieta e a pegar nos exercícios com força total e, depois de algum tempo, vão se desmotivando.

Pensando nisso, resolvemos mostrar aqui que emagrecer não é nenhum bicho de sete cabeças, que é possível, sim, se livrar daquelas gordurinhas indesejadas seguindo esses 14 passos!

1. Fazendo musculação

Embora a aeróbica seja fundamental para detonar calorias, como caminhadas, corridas ou aulas de dança, a musculação não deve ser deixada de lado, sendo também eficaz para emagrecer e queimar gordura. A musculação pode aumentar o gasto energético em repouso e ainda reduzir a gordura da barriga, principalmente, se combinada com exercícios aeróbicos. Portanto, invista nos dois.

2. Investindo em proteína

Consumir muita proteína diminui o potencial de gordura abdominal, pois ajuda a diminuir o apetite, a ingerir calorias e preservar a massa muscular. A dica, no entanto, é variar as fontes de proteína.

3. Dormindo bem e descansando

Procure dormir, no mínimo, 7 horas por noite, isso irá ajudar a emagrecer. Dormir por tempo suficiente está associado à diminuição do apetite e da fome, assim como a um menor risco de ganho de peso. Quem não dorme bem, tem um aumento do hormônio cortisol, o hormônio do estresse, que causa acúmulo de gordura.

4. Ingerindo boas gorduras

Gorduras saudáveis reduzem o risco de ganho de peso, pois aumentam a saciedade e ainda diminuem a gordura da barriga. Por isso, invista em azeite de oliva, abacate, castanha de caju, castanha do Pará, exemplos de gorduras boas.

5. Não ingerindo álcool

Pesquisas relacionam o consumo de bebidas açucaradas e bebidas alcoólicas ao maior risco de acúmulo de gordura abdominal. Se não for possível cortar, evite, ao máximo, para melhores resultados.

6. Bebendo muita água

A falta de hidratação do corpo pode causar desde inchaço, má circulação, dores de cabeça, até pedras no rim… por isso, ingira mais água, pelo menos, dois litros de água por dia, que é o mínimo recomendado. Quem preferir, pode beber chás, como o verde, o branco, ou de cavalinha e hibisco, que ainda ajudam a secar a barriga.

7. Ingerindo mais fibras

Coloque mais frutas e legumes na sua dieta, além de aumentar as vitaminas, você estará aumentando a ingestão de fibras que, assim como a ingestão de água, resulta em mais idas ao banheiro, ou seja, um intestino funcionando melhor, o que é bom não só para emagrecer, como para diminuir a barriga.

8. Ingerindo menos massas

Se não consegue abrir mão dos pães, bolos e massas, que, pelo menos, sejam feitos de farinha integrais, pois carboidratos refinados podem aumentar a fome e causar picos e quedas nos níveis de açúcar no sangue. E mais, seu consumo está associado ao aumento da gordura abdominal.

9. Caprichando nos exercícios aeróbicos

Quanto mais exercícios aeróbicos fizer, mais gordura abdominal irá perder. Alguns exercícios são especialmente bons para a perda de peso, além de, também, ajudarem a diminuir a gordura abdominal.

10. Ingerindo mais cafeína

A maior ingestão de cafeína está associada a uma maior perda de peso, ainda mais porque o café contém cafeína, que pode aumentar a destruir a gordura e acelerar o metabolismo. Quem não gosta de café, pode substituir, por chá verde ou chá preto, que também contêm cafeína, sem falar que existe, também, cápsulas de cafeína para tomar antes do treino.

11. Fazendo treinos intensos intervalados (HIIT)

Treinamento intervalado intenso ajuda a aumentar a queima de gordura, queimando mais calorias em menos tempo do que outras formas de exercício. O treino HIIT consiste em treinos com exercícios de alta intensidade divididos em pequenos períodos de esforço intenso Altamente eficazes, são feitos em menos tempo e dão resultado mais rápido.

12. Suplementando probióticos

Suplementar probióticos pode ajudar seu intestino trabalhar melhor. Tomar suplementos probióticos, ou aumentar sua ingestão por meio de alimentos, pode ajudar a reduzir o peso corporal e a porcentagem de gordura.

13. Investindo em mais ferro

Segundo estudos, o tratamento da deficiência de ferro ajuda na perda de peso em muitos casos. E mais, a deficiência de ferro pode estar associada à função tireoidiana prejudicada e pode causar sintomas como fadiga e falta de ar.

14. Praticando jejum intermitente

O jejum intermitente está em alta, e isso por reduzir o peso corporal e a gordura corporal, além de ajudar a preservar a massa muscular e secar a gordura da barriga, principalmente, se for combinado com o treinamento de resistência.

Essas são ótimas dicas, mas se você deseja acelerar o processo ainda mais, basta você fazer o uso de algum emagrecedor, o detona gordura funciona muito bem para isso, se você ainda não conhecer esse produto, você pode ver o detona gordura bula que mostra tudo sobre o produto.

5 Alimentos que previnem câncer da próstata

Os números assustam, por isso mesmo, a cada ano o mês de novembro é dedicado à conscientização das doenças masculinas, com ênfase na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer da próstata, essa campanha recebe o nome de Novembro Azul.

Vale saber que o câncer da próstata atinge, principalmente, homens com mais de 40 anos e com histórico de câncer na família.

Na verdade, muita gente não sabe, mas o câncer de próstata está ligado a uma dieta rica em alimentos processados como fast food, e carnes embutidas, como salsicha e linguiça, por exemplo.

A primeira coisa que as pessoas costumam fazer é procurar por “soluções prontas”, sejam medicamentos ou suplementos naturais, o número de pessoas que procuram por renova prost preço por exemplo é muito grande, isto tudo ajuda sim, porém é importante pensar em prevenção.

Por isso, é fundamental que quem quer prevenir, principalmente, quem tem predisposição, opte por uma alimentação especial, rica em licopeno, por exemplo, assim como, fibras e antioxidantes.

Confira abaixo alguns alimentos ótimos para prevenir câncer de próstata e que , portanto, não devem faltar no cardápio.

1. Tomate: licopeno

Dentre todos os alimentos, o tomate é o  mais rico em licopeno, nutriente com o maior poder antioxidante para proteger as células da próstata contra alterações maléficas, como ocorrem no crescimento do tumor.

E mais, o licopeno não só previne o câncer, como também diminui o colesterol LDL (ruim), protegendo o organismo de doenças cardiovasculares, como o infarto.

A dica é procurar consumir 35 mg de licopeno por dia para prevenir o câncer, o que equivale a 12 tomates ou 230 ml de extrato de tomate. Porém, o licopeno  fica melhor aproveitado se submetido a temperaturas elevadas, por isso, o molho de tomate possui mais licopeno que tomates frescos. Outros alimentos ricos em licopeno são: mamão, goiaba, pitanga e melancia.

2. Castanha-do-pará: selênio

Encontrado, principalmente, na castanha-do-pará, o selênio ajuda a prevenir o câncer, inibindo a reprodução celular, atuando como antioxidante. Além da castanha, ele também está presente em alimentos como farinha de trigo, gema do ovo e frango.

3. Vegetais Crucíferos: sulforafano

Vegetais crucíferos como brócolis, couve-flor, repolho, couve de Bruxelas e couve são ricos nos nutrientes sulforafano e indole-3-carbinol, que possuem efeito antioxidante e estimulam a morte programada de células da próstata, prevenindo sua multiplicação em tumores.

4. Chá verde: isoflavonas e polifenóis

As isoflavonas e os polifenóis têm ação antioxidante, antiproliferativo, que estimulam a morte programada das células, conhecida como apoptose.

Chá verde, frutas, vegetais, grãos de soja, além do vinho tinto, são ricos nesses nutrientes.

5. Peixes: ômega-3

Ômega-3 é um tipo de gordura boa que age como anti-inflamatório e antioxidante, melhorando a saúde das células e prevenindo doenças como câncer e problemas cardíacos. Peixes de água salgado como salmão, atum e sardinha, linhaça e chia são ricos nesse nutriente.

No mais, a dica é além de aumentar o consumo de frutas, legumes e chá verde, reduzir a ingestão de gorduras saturadas, presentes, principalmente, em carnes vermelhas, bacon, embutidos como salsicha, linguiça e presunto, fast food e alimentos industrializados.

Por fim, a dica é não descuidar da saúde, não só se alimentando melhor, como também, fazendo o exame de prevenção do câncer de próstata com um urologista,regularmente, após os 40 anos.

Como a diabetes pode causar impotência sexual

Chegou até aqui querendo saber como a diabetes pode causar impotência sexual? Então, veio ao lugar certo. Confira nesse artigo como e quando a diabetes pode resultar na impotência.

Não é de hoje que a diabetes é uma preocupação quanto à qualidade de vida, mas o que muita gente ainda desconhece é que ela pode, sim, ser uma das causas

da impotência sexual. Isso se explica pelo fato dela provocar muitas alterações vasculares e sensitivas as quais podem acabar dificultando a chegada do sangue ao pênis, assim como, a sensibilidade, impossibilitando não só a ereção, como o prazer durante o ato sexual.

É preciso entender que para ter e manter uma ereção, o homem precisa receber tanto estímulos físicos como psicológicos, os quais irão aumentar a circulação sanguínea no órgão sexual, não havendo esses estímulos fica  impossível ter as condições necessárias para uma relação sexual satisfatória.

Porque a diabetes pode causar impotência

Como vimos acima, a impotência sexual masculina na diabetes surge como resultado de algumas alterações causadas pela própria diabetes, são elas:

  • Diminuição da circulação, acabando por diminuir, também, a chegada de sangue no órgão sexual;
  • Obstrução da artéria peniana, isso acaba por diminuir a concentração de sangue no pênis devido a aterosclerose;
  • Alterações na sensibilidade peniana, o que acaba interferindo no prazer sexual;
  • Estresse e ansiedade devido à própria doença e às restrições na alimentação, acabando por criar a necessidade de cuidados circulatórios, aumentando o medo de ficar doente.

Enfim, são muitas alterações e quando alguma delas surge é um sinal de alerta, já que qualquer uma delas pode ser uma porta de entrada de problemas de ereção e impotência sexual.

Mas se você está sofrendo com esse problema eu recomendo que use o titanus capsulas que é um estimulante natural para combater a impotência.

Como tratar a impotência na diabetes

Quando a impotência sexual surge em função da diabetes, infelizmente, ela nem sempre pode ser curada, e isso por depender da gravidade em que os vasos sanguíneos foram afetados.

Em casos mais extremos, o tratamento convencional pode não ser a melhor alternativa, ou seja, o suficiente para devolver uma ereção satisfatória, embora a gravidade só possa ser diagnosticada, de fato, após o início o tratamento, e a verificação dos resultados.

Por tudo isso, vale tomar algumas medidas preventivas, como, por exemplo, controlar os valores da glicose e da pressão arterial, procurar se manter no peso ideal,  adotando uma dieta equilibrada, e fazer visitas regulares ao médico, sem dúvida, são atitudes que podem garantir uma vida saudável, prevenindo a impotência causada pela diabetes.

Vale saber que, em alguns casos, o médico poderá recomendar alguns tratamentos específicos:

  • Uso de remédios vasodilatadores (Viagra);
  • Prática de exercícios físicos regularmente (correr por 1 hora, 3 vezes por semana, por exemplo);
  • Implantação de uma prótese no pênis, recomendada em casos mais graves, geralmente, quando as outras formas de tratamento não funcionaram.

Lembrando a importância de um acompanhamento de um urologista, para que  cada caso seja devidamente analisado, principalmente, por se tratar de uma região muito complexa e a automedicação nunca deve ser uma opção, com sérios riscos para a saúde.

No mais, em alguns casos, vale contar com um apoio psicológico, compreensão por parte da companheira, afastando qualquer fator que possa aumentar a ansiedade e, até mesmo, a insegurança e a falta de autoestima.

Cuidados com cabelos ondulados e volumosos

Existe uma tendência cada vez maior de passar a aceitar a textura natural dos cabelos. No entanto, é sabido que os cabelos com textura ondulada e volumosos precisam de cuidados especiais.

A primeira coisa que precisa ser ressaltada é que os cabelos ondulados possuem suas peculiaridades, sendo também chamado de cabelo tipo 2.

Dentro da curvatura de cabelos de número 2 eles ainda podem se subdividir em 2A, 2B ou 2C.

O tipo 2A é aquele considerado praticamente liso, com um fio fino e com uma ondulação bem leve, que é quase imperceptível. mais do que isso, seu volume também é moderado, para quem tem cabelo assim é recomendável usar o Hair Power para fortalecer os fios.

O cabelo 2B já tem um fio um pouco mais grosso, com maior tendência a frizz e ondulações um tanto mais visíveis, principalmente nas pontas. Ele pode ser representado com um formato de “S”.

Já o 2C tem um fio mais volumoso e mais grosso da categoria, com ondas mais marcantes e que pode representar um cacho mais aberto.

Como deixar o cabelo ondulado com mais volume

Dependendo do seu tipo de ondulado, pode ser um pouco complicado manter ele com um volume e textura perfeitas. Então, veja algumas dicas:

  • Soltar a raiz do cabelo

Dependendo de qual for a estrutura dos fios e também de alguns fatores como a clima, oleosidade e outros, o fio pode ficar mais grudadinho na raiz.

Então, para estimular seu volume e textura, pode ser interessante soltar os fios da raiz usando um garfo de cabelo ou os dedos mesmo.

  • Xampu seco ou talco

O xampu seco ou talco de bebê pode ajudar a deixar a raiz mais solta e sequinha, além de deixar o fio mais encorpado e volumoso. Sendo assim, aposte nessa técnica para aqueles dias em que os fios ficam mais pesados ou que estão sujos.

  • Finalizadores sem exagero

Muito importante para quem quer cuidar de cabelos ondulados e volumosos é evitar o excesso de finalizadores. Por um lado, eles ajudam a domar o excesso de volume dos cabelos, mas por outro eles podem deixar o cabelo “murcho” se for usado em exagero.

Mais do que isso, eles também estimulam a oleosidade dos fios, levando o cabelo a perder muito volume.

  • Use o difusor

Secar o cabelo com o difusor é uma técnica que pode tornar a secagem mais rápida e ainda estimular que os cabelos ondulados fiquem com mais forma, volume e textura sob controle.

Para isso, a dica é apostar em um bom finalizador, jogar os cabelos para frente e aplicar o difusor por alguns minutos.

Pronto, agora você já sabe como cuidar dos cabelos ondulados com volume!

O que é Diabetes Mellitus?

A diabetes é uma doença já conhecida, mas quando se fala em diabetes mellitus, as pessoas estranham um pouco. O fato é que diabetes mellitus é apenas o nome técnico da doença que conhecemos como diabetes mesmo.

Essa é uma doença metabólica, que acontece quando o próprio organismo se torna incapaz de realizar a produção da insulina ou quando a sua produção não é suficiente para a demanda interna.

Existem também os casos em que a diabetes se caracteriza pela dificuldade do corpo de usar a insulina que é produzida.

Para quem não sabe, a insulina é um hormônio que é produzido e excretado pelo pâncreas e é o responsável pelo processamento dos açúcares ingeridos através da alimentação.

É graças a ele que o alimento pode se transformar em energia, que é um processo essencial e indispensável para manter as funções do nosso corpo ativas.

Tipos de diabetes mellitus

Existe mais de um tipo de diabetes mellitus, sendo que o mais comum é o tipo 2, que representa cerca de 90% das pessoas com diabetes em todo o mundo.

Já o diabetes mellitus tipo 1 é predominantemente desenvolvido por questões genéticas ou hereditárias.

O diabetes mellitus tipo 2, por exemplo, é mais influenciado pelos hábitos de vida de um indivíduo, tal como uma alimentação rica em gorduras e açúcares aliada com sedentarismo.

Mesmo que o diabetes mellitus seja uma das doenças de maior incidência no mundo todo, afetando 387 milhões de pessoas, ainda existe uma forma necessidade de reforçar a importância de prevenir o problema, bem como na importância de se obter um diagnóstico e início de tratamento precoce.

Sintomas de diabetes mellitus

Existem diversos sintomas que podem ser causados pelo diabetes, sendo que os principais são sede e fome excessivos e a vontade de urinar constantemente. No entanto, elas podem variar, veja:

Sintomas diabetes mellitus tipo 1

  • Perda de peso
  • Fraqueza
  • Fadiga
  • Mudanças de humor
  • Náuseas e vômitos

Sintomas diabetes mellitus tipo 2

  • Formigamento de pés e mãos
  • Frequentes infecções de rins, pele e bexiga
  • Feridas que taram em cicatrizar
  • Visão turva

Prevenção do diabetes mellitus

Uma das melhores formas de prevenir o diabetes mellitus é adotando hábitos de vida saudáveis, tais como:

  • Praticar atividades físicas regulares
  • Comer legumes e verduras diariamente, além de 3 porções de frutas
  • Não fumar
  • Manter o peso sob controle

Sem dúvidas, o incentivo a uma alimentação balanceada aliada a pratica de atividades físicas é o mais indicado, sendo uma das principais abordagens dos Governos atuais.